Idioma
O Meu Carrinho 0

O que é o SLA (estereolitografia)?

Impressão 3D - SLA

Em 1986 nasceu o termo SLA, a primeira tecnologia de impressão em 3D. Desde então, a mesma tem sofrido algumas evoluções e através dela é possível criar e obter modelos e objetos das mais variadas formas, com bastante precisão. O seu funcionamento consiste em criar esses mesmos objetos através de um laser que gradualmente, solidifica o fotopolímero.

A Reiman, lançou recentemente o seu serviço de fabrico aditivo - RMN Additive - e tem um grande foco na tecnologia do SLA. Este processo funciona através de polimerização de resina e esta pode obter diferentes formatos e espessuras de acordo com o seu tipo.

Resinas disponíveis:

Resina padrão

A resina padrão é um material com alta resolução, resistência, precisão e grande acabamento superficial, o que a torna perfeita para aplicações mais exigentes, criando peças precisas e robustas. Assim sendo, a resina padrão é ideal para:

  • Modelos detalhados
  • Estudo de escoamento de fluidos
  • Peças translúcidas
  • Ótica e iluminação
  • Protótipos

    Resina flexível                                                                                                  

    A resina flexível equilibra a suavidade com a resistência, o que a torna capaz de resistir à flexão e à compressão. Este é o material perfeito para:

    • Prototipagem de bens de consumo
    • Características compatíveis com a robótica
    • Dispositivos médicos e modelos anatómicos
    • Juntas, vedantes e máscaras

      Resina elástica                                                                                                    

      A resina elástica é um material macio que simula o silicone, capaz de produzir peças que dobram, esticam, comprimem e que aguentam até ciclos repetidos sem rasgar e voltam à sua forma original. Veja alguns exemplos:

      • Prototipagem de bens de consumo
      • Características compatíveis com a robótica
      • Dispositivos médicos e modelos anatómicos

        Resina durável                                                                                                 

        Este material adapta-se a peças apertáveis e conjuntos de baixa fricção. É facilmente maleável, lubrificante e resistente ao impacto. As principais aplicações passam por:

        • Caixas e invólucros
        • Gabaritos de fixação resistentes ao impacto
        • Protótipos maleáveis
        • Montagens de baixo atrito

          Resina rígida                                                                                              

          A resina rígida é preenchida com partículas de vidro e por isso tem uma grande rigidez e resistência. O acabamento das peças feitas a partir desta resina é liso e polido. É maioritariamente utilizada em:

          • Turbinas e pás do ventilador
          • Gabaritos, acessórios de fixação e ferramentas
          • Coletores
          • Invólucros elétricos e caixas para automóveis

            Resina resistente                                                                                               

            Este é um material que se caracteriza pela sua robustez, funcionalidade e dinâmica. Estas características fazem com que esta resina seja capaz de suportar compressão, alongamentos e flexão sem se partir. Seguem alguns exemplos da sua aplicação:

            • Caixas e invólucros
            • Gabaritos e acessórios
            • Conectores
            • Protótipos sujeitos a desgaste

              Resina de alta temperatura                                                                                               

              A resina de alta temperatura é um material que oferece uma temperatura de deflexão térmica até 238ºC, tornando-se perfeita para fabricar peças detalhadas e precisas com resistência a altas temperaturas. Veja alguns exemplos:

              • Peças sujeitas ao transporte de fluidos quentes
              • Montagens, caixas e acessórios resistentes ao calor
              • Moldes e insertos

                Resina Biocompatível                                                                                             

                A resina biocompatível é um material desenvolvido para oferecer resistência a solventes e autoclaves, bem como qualidade excecional de peças, precisão e desempenho. Esta resina é certificada pela CE que cumpre os requisitos da Classe I para Dispositivos Médicos. É maioritariamente utilizada em:

                • Guias cirúrgicos
                • Guias piloto
                • Modelos de perfuração

                  Principais vantagens associadas ao processo:  

                                                                                                        

                  • Rapidez - A polimerização é um processo relativamente rápido e por isso é possível obter várias peças num curto espaço de tempo, dependendo sempre da complexidade que a peça exige, obviamente. O SLA é, portanto, um processo com produção rentável.
                      • Personalização - Através do SLA é possível desenhar e obter um número de peças e de protótipos infinito. Como já foi referido anteriormente, existem imensos tipos de resina e por isso é possível fazer diversas criações.
                        • Processo automatizado - Este é um processo automatizado uma vez que é só inserir os dados no programa e, automaticamente, a impressora inicia a impressão.
                            • Poupança de custos - Não é um processo caro, uma vez que os materiais que o integram não acarretam custos muito elevados.

                          Para mais informações, contacte a equipa especializada da Reiman. 

                          Contactos

                          Tel.: +351 229618090

                          comercial@reiman.ptadditive@reiman.pt

                          Artigos Relacionados